Eu a vi na fila do banco, na feira, no clube, no supermercado e no shopping. Na porta da escola esperando seus filhos, lá estava você

Quando achou que precisava aplicar botox e pintar os cabelos, eu fui junto .
Quando quase sem acreditar, explodindo de alegria. Viu seu nome na lista dos aprovados da Fuvest, assisti de camarote seu entusiasmo.

Na entrevista do seu primeiro emprego, percebi o tremor nas suas mãos geladas.

No triste dia em que você chorou todas sua lágrimas, porque aquele seu ente querido se despediu da vida e se se tornou saudades, juro eu não queria ter estado presente, foi doloroso também pra mim.

No seu tempo de garotinha a vi tantas vezes desfilar de princesa, fadinha ou bailarina nas festinhas dos seus aniversários. Como você estava radiante!

Menino, quando seu pai lhe fez a primeira pipa, me lembro bem, você  saiu correndo para ela pipar  no céu de um dia azul, eu fiquei o tempo todo torcendo para que ela ficasse o mais alto possível para depois, você todo prosa, contar aos amiguinhos sua proeza.
Naquele Carnaval, me diverti vendo você vestido de marinheiro, tão moleque, já sonhando com mares dantes nunca navegados.

Ouvi seu choro e senti seu medo no seu primeiro dia de aula, quando sua mãe soltou sua mão e de repente você percebeu que daí em frente era imperativo que aprendesse a se virar sozinho.

Sua emoção também foi minha, quando em um aceno e num gesto de beijinho, jogado no ar lhe prometeram, que seu tempo seria só de primavera.

Quisera agora contar que chorei junto quando você se deu conta de que tudo não passava de uma fugaz quimera.
Ah! sabe, eu me admirava em assistir suas explosões de raiva, mas me comovia quando ia fundo e simplesmente perdoava o mal que lhe tinham feito.

Como  eu ficava feliz ao perceber  seu olhar terno para os mais desvalidos e como eu o admirava quando estendia sua mão para ajudar os necessitados.

Eu ficava, atordoada nas vezes em  o sentia ao  mesmo tempo tão egoísta, querendo tudo do mundo só pra você e de repente, se tornava como um leão em fúria e lá ia brigar onde e com quer quem fosse, para que todos tivessem direitos iguais nesse mundo nosso tão desigual.

Sabe em todos esses momentos fui conselheira, companheira e cúmplice.

Vivi da mesma forma tudo que você viveu, entre seus acertos tropeços e recomeços.

Ousada e tão covarde, silenciosa e tão espalhafatosa, sonhadora e realista, homem e mulher, enfim humana, fui exatamente como você, a simplificação do ser .

Sabe por que eu lhe vejo onde quer que eu ande?

Porque o mundo é um espelho, nos reflete seres errantes, caminhantes deste mundo, que poderia ser bem melhor se nos lembrássemos ,que a dor que dói aqui é a mesma que fere outro alguém do outro lado do mundo ou perto de nós.

Por isto é necessário nos mantermos atentos e fortes na procura do norte que nos faça simplesmente obedecer Jesus, quando disse “amai uns aos outros como nós mesmos”

Já se cantou dizendo que é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã.
Acrescento dizendo que é preciso amar as pessoas para que haja amanhã!

Jesus sabia que nós somos todos uma só pessoa e assim caminha a humanidade.

We are the world (nós somos o mundo)

Eu sou nós e nós também somos você!

Veja também