Portugal é realmente apaixonante.

Assim que o avião começa a descer se tem uma visão da cidade de Lisboa, já deslumbrante com seu casario de telhado vermelho .

Em terra é puro deslumbramento, gente amável, ruas limpas, grandes avenidas, estradas todas,  sem um buraco sequer, muito verde e o Tejo, nem tenho palavras para descrever minha alegria em  conhecer.

Percorrer a estrada que vai de Lisboa até Porto,  na companhia do Rio D’Ouro serpenteando entre paisagens incríveis, e avistar a perder de vista, as videiras e as oliveiras , tem uma magia, que nos faz perder a pressa de chegar, na verdade se quer parar a cada trecho, respirar o ar puro, ter vontade de jogar fora o relógio e ficar para sempre naquele cenário , onde  os anjos devem  passar  as férias, afinal eles entendem de paraíso.

Saborear o bacalhau é descobrir que o que se tinha comido até  então não era nem um pouco parecido com este servido na terrinha. Agora eu sei o que é comer rezando, minha gente!

O vinho,  servido em todas as casas que visitei,  em todos os restaurantes onde me deliciei, só por ele,  atravessar o Atlântico valeu.  Então,  aterrisar na terra onde estão minhas raízes,  foi uma realização muito pessoal. Por mais que eu tenha ouvido relatos de quem esteve lá,  antes de mim,  constatar ” in loco,” tudo o que  me disseram  terem visto, me fez ter certeza,  que eles não souberam usar todos os  seus  superlativos. Até eu, acho que tenho que correr para o dicionário e aprender mais,  para poder dimensionar o que fez meus olhos se inundarem  de beleza e meu coração transbordar de emoção.

Avistar milhares, como se fossem  coqueiros brancos, altos, imponentes, as torres de energia eólicas com suas folhas  pás a compartilhar e fazer que se aproveitem o vento, é poesia modernista na mais perfeita harmonia, nem precisa rima é só movimento .

E o pôr do sol `a beira mar em  Cascais?  É um dos mais belos que eu vi e olhe que com essa  brincadeira dele,  em se mostrar e se esconder,  eu tenho composto meu  tempo vivido até aqui, porém esse  espetáculo,  apreciado a partir desse ponto,  me comprovou mais uma vez como é bom viver.

Castelos ? Sim há muitos, São Jorge, outro da cidade medieval de Óbidos, o de Sintra são  alguns, que  no meu  tempo de escola,  ouvi a professora de Geografia e História contar, e pude perceber  que o que ela falava, não era estória de carochinha.  Era aí a  morada dos reis,  tão real que,  se eu ficasse em silêncio,  poderia  ouvir  seus sussurros  guardados através dos tempos e ainda, escutar o farfalhar das sedas dos vestidos das princesas.  Acredito nisto piamente .

Bem,  mas tenho que fazer uma ressalva :  Portugal não é um lugar para quem está de dieta. O problema é que as tentações são muitas, pelo menos para mim que adoro doces,  foi uma briga ferrenha igual  a do Palmeiras e Corinthians em dia de jogo. O meu placar foi que perdi feio. Tomara,  que minha nutricionista Elaine Assef,  não leia este texto.

É tanta oferta de gostosura elevada ao quadrado, que resulta em nossa cintura ficar mais redonda. Imagine a perdição do Pastel de Belém, o Pudim Abade de Prisco, os  Quilhões de São Conrado.  Esse doce tem uma forma fálica, com formato do genital masculino, mas não se deve assustar,  pois na verdade,  diz a tradição,  esse santo era considerado casamenteiro e ainda ajudava as mulheres a engravidar, daí esse formato inusitado e consequentemente ser  o preferido das pretendentes em achar seu príncipe encantado .

Espere não é só isso não, tem ainda os travesseiros de Sintra, uma infinidade de doçuras feitas de ovos e amêndoas, que me faz saber,  que você não vai resistir, do mesmo jeito que  não resisti,  aos ovos moles de Aveiro,  feitos com hóstias verdadeiras. É, Portugal sabe conquistar a gente com afeto e também com muito açúcar. Se gulodice for mesmo pecado,  vou ter que passar o resto dos meus dias fazendo penitências. Porém o crime compensa.

Estar em  Portugal é respirar história e se encantar com seus museus, visitar onde estão os restos mortais de Vasco da Gama e Luís de Camões e ficar de queixo caído  pelo tamanho e arquitetura espetacular e para isso,  o endereço obrigatório é no Mosteiro dos Jerónimos. Lindo, majestoso e inesquecível é fotografar com os olhos e revelar uma cópia no coração pra sempre.

Se emocionar ao ver de onde Cabral levantou velas para chegar ao  novo mundo aportando em Porto Seguro e com isso nos fazer nascer brasileiros, é se render ao monumento do Descobrimento, ou como é chamado Padrão dos Descobrimentos , que tem a forma de caravelas e foi inaugurado em 1960, mas originalmente foi construído em 1940 que fica na Freguesia de Belém. Se vale a pena conhecer?  Digo e repito vale mesmo e ainda ao lado fica a Torre de Belém e mais a uns passos lá está ele o que já me referi que é o Mosteiro dos Jerónimos.

Recomendo que antes de ir  para Portugal , vocês visitem sites que se dedicam a descrever com riqueza de detalhes os encantos desta terra, com certeza terão muitas dicas a respeito, que farão vocês desejarem  carimbar seus passaportes o mais rápido possível.

Não é meu objetivo ser uma consultora turística, há muitas pessoas mais gabaritadas que eu para dar dicas de passeios, o que eu quero deixar registrado aqui é lhes falar de como fui conquistada por nossos descobridores e a pátria que habitam.

Descer no aeroporto de Lisboa,  me levou a desvendar os tesouros todos deste lugar tão especial e ao tomar o avião de volta,  para casa,  me fez ter um só desejo,  que é regressar inúmeras vezes,  só por saber que lá,  eu  também posso me encontrar.

 

 

Veja também