No quarto escuro agora, é meia noite tento dormir mas não consigo.

Os pensamentos chegam um atrás do outro, em um emaranhado perturbador.

É nessa hora que meus medos afloram, minhas angústias, aquelas lembranças de tudo que tanto doeu um tempo atrás, a saudade dos  momentos felizes que duraram tão pouco e a dualidade que tem em mim de ser pessimista e otimista ficam se debatendo e me atordoam.

                Tento contar carneirinhos, perco a conta ao lembrar do IPVA, do IPTU, que ainda não chegaram, mas que certamente se juntando com o Imposto de renda que terei que pagar certamente me darão outras noites insones.

Tento esquecer das vezes que me magoaram e por um momento acredito que um dia chegarão pra mim e com um abraço pedirão perdão.

Para ver se pego no sono faço força para acreditar que tudo no Brasil vai se ajeitar, que o legislativo vai ser daqui pra frente formado por gente honesta e que finalmente terão como objetivo o bem geral de todos e da nação, que o executivo será representado por uma pessoa de ficha limpa e que não vai de forma nenhuma se corromper e que o judiciário honrará a toga e fará  justiça sem conchavos e sem exigir troca de favores.

Quando meus olhos estão quase fechando me vem `a cabeça as frases que sempre ouço dos jovens estudantes que dizem “nóis vai, nóis faz e nóis gosta ” aí não dá mesmo pra dormir, serão eles os futuros eleitores e aí desanimo de vez e vejo,  que como disse o Bezerra da Silva, o Brasil só vai melhorar quando o capeta cruzar as pernas.

Tudo bem me lembro, que nesta hora muitas pessoas saíram de suas casas para levar alimento, aos que estão dormindo nas ruas, que alguém estará rezando pela paz mundial, que os doutores da alegria, no dia seguinte bem cedinho estarão nos hospitais fazendo as crianças internadas esquecerem da dor das injeções,do sofrimento dos tratamentos e por causa das suas palhaçadas o riso iluminará seus rostos pálidos e aí minha alma se aquieta e quase o sono chega.

Olho o relógio e ele marca 24 horas do dia que acabou, isso me fala de como a vida passa tão depressa e eu que estou esperando o resultado do exame de uma doença, me angustio pois se der positivo talvez não consiga colher as rosas daquela roseira que acabei de plantar, não verei mais o pôr do sol, o arco-íris e nunca mais me alegrarei com  os sorrisos dos meus filhos e netos.

De repente tenho vontade de ser de novo aquela garotinha que corria para o  pai e pedia socorro.

Enfim o sono me vence e quando abro os olhos  percebo o clarão na janela, enfim um novo dia novinho está chegando pra mim.

               Aí,  boba incorrigível , que sou já começo a sonhar com viagens que ainda não fiz e passo de novo a acreditar,  que todos os abraços que não recebi chegarão em breve pra mim.

Animada coloco meu melhor vestido, escolho o sapato de salto mais alto, capricho no batom e saio pra rua,  sem nem sequer me importar que é uma segunda feira, simplesmente porque é neste dia,  que escolhi ser feliz para sempre, pelo menos até que a noite chegue eu  me recolha outra vez `a minha insignificância .

 

 

 

 

 

 

Veja também