Lembro em criança seus ensinamentos,

que pra viver era preciso coragem

para expulsar a indecisão e não deixar

a tristeza do mundo se aninhar no peito,

 

Hoje compreendo sua linguagem,

invejo sua filosofia de vida experiente,

sei agora, que só a possui, quem assistiu

tantos nascimentos e mortes de Sol e Lua,

 

Queria segurar sua vida,

pra ainda dar  tempo de provar a cada instante,

como lhe agradeço e como o amo pai,

só você me provou que heróis existem,

 

Seus cabelos brancos guardam

marcas de distância e tempo,

pressinto nos seus olhos,

o brilho de esperanças últimas,

 

Antevejo nas suas mãos,

um aceno vazio e triste de despedida,

tenho medo, uma ansiedade cria

sombras no meu quarto,

 

Meus pensamentos acendem tochas dentro de mim,

desesperada me vejo sozinha e cansada,

Saudades prévias tomam conta de mim,

 

Como quando eu era menina,

corro pra você, encontro seu semblante

calmo, quero lhe contar minha dor,

recuo perco o jeito,

 

Choro internamente meu desalento

e ensaio um sorriso tímido,

Só pra lhe ver feliz, Pai !

 

Veja também