Sou do tempo em que se viajava de trem para o interior de São Paulo, saindo da Estação da Luz.

Bons tempos aqueles, que nós crianças apesar de inúmeras vezes os pais pedirem para que no trem não puséssemos a cabeça para fora da janela, a gente fazia de conta que não ouvia, pois o que mais queríamos era ter carimbada a roupa com um furinho queimado das fagulhas que saiam da chaminé da Maria Fumaça.

Naquele tempo praticamente era esse o único meio de transporte para ir pra lá pois ter carros era só para os ricos e as estradas eram quase que inexistentes e as que haviam eram péssimas.

Quanto mais a gente vai envelhecendo mais as imagens e fatos da infância vão ficando presentes na memória, talvez para que a gente resgate nossas raízes que foram sendo arrancadas pelo tempo.

E nesta busca do passado, saí hoje de Arujá onde moro e fiz um caminho de 48,6Km até chegar em Guararema, para quem vem pela Airton Senna sentido Rio de Janeiro deve-se entrar logo onde tem a indicação Guararema e depois de caminhar um pouco pela rodovia Henrique Eroles surge uma placa indicativa que diz Luis Carlos.Esse foi meu destino de hoje.

Guararema fica próximo a Mogi das Cruzes, teve seu desenvolvimento ligado à história da Ferrovia e cresceu na cadência e sob o apito da Maria Fumaça. Está explicado assim o por quê da minha ida para lá.

Lá está uma das maiores  e potentes locomotivas a vapor, remanescentes no país a conhecida como a Velha Senhora. Ela tem três carros de passageiros da década de 1930 que comportam 142 passageiros.

Basta se acomodar em um dos assentos e pronto está garantido uma volta ao passado fazendo o trajeto de Luis Carlos para a estação de Guararema, lá fui eu embarcada na ânsia de sair com a roupa furada, isso não aconteceu, mas esse passeio costurou os buraquinhos que ficaram na minha alma. Durante 7 quilômetros esse tour cultural me fez de novo criança.

Essa estação foi inaugurada em 1914 e esse nome foi uma homenagem a Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros, nascido no Rio de Janeiro, tendo sido engenheiro civil, além de poeta, um motivo a mais de eu querer respirar os ares que ele respirou por lá, com a intenção que por osmose eu pegasse um pouquinho do seu talento. Sabe-se lá eu acredito em milagres.

Ele foi o responsável pela criação dela, quando trabalhava como chefe do segundo distrito de tráfego da Central do Brasil e com ela, atendeu o pedido dos produtores das lavouras que tinham necessidade de transportar seu produtos para o Rio de Janeiro.

Talentoso aos 40 anos lançou o livro “Colunas”e depois de mais de três livros foi alçado para a Academia Brasileira de Letras e, 1926.

As casas ao redor da estação começaram a ser construídas na década de 1920 e hoje estão como testemunhas desta história, servindo agora como cafeterias, sorveterias, bistrô, bar, creperia e lojinhas de artesanato e produtos naturais.

Sábados e domingos para lá vão famílias, motoqueiros e a praça fica festiva tomada por  uma profusão de bikes. Entre todos os frequentadores talvez haja alguns que tenham ido com o mesmo objetivo que me levou até lá, outros quem sabe foram apenas para curtir com a moçada.


Entre outros locais para apreciar a culinária local, encontrei o “Al Mahata” um simpático restaurante árabe, que oferece vários pratos desta cozinha e por lá esqueci a dieta, fazer o quê?

Este restaurante nas quintas e sextas serve um rodízio por R$69,90 por pessoa das 18h30h até às 23h. Aos sábados a partir das 10 até as 23h com som ao vivo deliciam os presentes e aos domingos todos podem se fartar das 10h até às 17h.

Dia 19 deste mês de agosto de 2017, haverá show com dança do ventre às 20h, com cobrança de couvert artístico de R$15.Vale a pena se sentar lá e apreciar a decoração e curtir a conversa amigável dos anfitriões Qades Khaled e Rosane Leão. Indico e recomendo.

Se ficar mais tarde pode ainda escolher na Roça Chic um pastel de fubá e bolinho caipira e lógico um cafezinho saboroso.

Quando estiver de partida e a fome apertar de novo que tal dar  uma chegadinha no famoso restaurante, lá à beira do rio Paraíba então, comer como rei, pois tudo que servem é de uma qualidade e capricho que só indo para conferir. Se comer demais e dar aquela preguicinha há ainda redes para descansar o corpo cansado de guerra e loucuras gastronômicas.

Na volta ao sair de lá, a Dutra os espera e então boa volta e levem como eu levarei  a mesma vontade de voltar de novo logo, logo pois o trem do passado ali estará a nossa espera.

Veja também