Aprendi a ler de carreirinha e nas entrelinhas,

Não faço questão de pontos finais e nem de vírgulas,

Travessão e dois pontos,

Deixo para quem sabe de todos os assuntos,

Eu fico apenas com os pontos de interrogação e de exclamação.

 

Prefiro fala mais com os olhos do que com palavras,

É no silêncio que escuto todas as coisas,

Sozinha fico na companhia dos meus medos,

Na multidão fico tão só,

 

Meus sonhos todos tem o tamanho exato,

Das minhas impossibilidades,

Mas minha teimosia me faz crer sempre

Que ainda poderei ir além

 

O problema é que os caminhos são longos,

Meus pés cansados tem horas que

Sabem mais de mim do que eu mesma

É nessa hora que desanimo, sento no chão e choro,

 

Será  que tudo vale a pena?

Ou será que minha alma é mesmo pequena?

 

Veja também