Hoje eu quero andar descalça, rodopiar em uma dança louca em todos os salões em que nunca pisei.

Quero deitar na relva verdinha, em um campo de florzinhas amarelas, ficar bem quietinha e ouvir só o barulho do silêncio.

Quero esquecer tudo o que não paro de lembrar,  que me machuca, corrói e me faz ter essa vontade de chorar e que então dos meus olhos saiam as lágrimas todas,  que nunca consegui  e nem agora consigo ver rolar pelo meu rosto. Preciso urgente acabar com essa mania de ser forte.

Quero dar as mãos para crianças, caminhar com elas e de novo rir sem motivo.

Quero desaprender tudo que levei anos para saber e que não me serviu de nada.Toda ignorância ou sabedoria ficarão escondidos definitivamente, atrás dos meus olhos, que se fecharão  um dia.

Quero fitar meu companheiro, que escolheu dividir comigo sua caminhada e deixar que ele leia nos meus olhos todo amor e meu agradecimento.

Quero abraçar apertado e beijar muito meus filhos e netos como fazia,  quando eles eram pequenos, antes que minha velhice, execute o serviço malvado, de fazer que daqui a pouco eu já não saiba mais quem eles são e tudo o que representam pra mim.

Quero fazer rapel, voar de paraquedas, fazer mergulho em Cozumel, surfar no Havaí, esquiar no Vale Nevado e contar todas estrelas que conseguir, no deserto de Atacama, quero ainda fazer voo em balão na Capadócia, se ainda tiver coragem ir na Amazonia e enrolar no pescoço uma cobra bem medonha.

Pra passar a régua na aventura de viver quero ir para as pirâmides no Egito e quem sabe ao entrar em uma delas ao fechar a porta tomar lição de eternidade.

Se nada disso for possível vou dormir agora, mesmo com os cabelos molhados, pois já deixei de acreditar que isso faz mal pra saúde.

Manga com leite também não tem problema nenhum, acreditem na minha experiência.

Veja também